Notícias



A EXPOAGRO DE FRANCA TEM UMA IMPORTÂNCIA ENORME NA CADEIA PRODUTIVA DO LEITE

Na década de 70 do século passado, a região de Franca (SP) foi uma das principais bacias leiteiras do Brasil, graças às várias fazendas leiteiras instaladas em Franca (SP), Pedregulho (SP), Patrocínio Paulista (SP) e São José da Bela Vista (SP), com ênfase na raça Holandesa.


Esta característica foi primordial para o estímulo na formação e expansão de uma nova raça na pecuária leiteira: a Raça Girolando, fruto do cruzamento entre o Gir e o Holandês.


Outro fator que merece destaque foi o resgate de linhagens produtoras de leite na Raça Gir Padrão, trabalho desenvolvido por pioneiros e amantes da raça, o que resultou em uma nova raça: a Gir Leiteiro.


Infelizmente, graças às conjunturas de mercado e ao custo da terra no Estado de São Paulo, a produção leiteira na região de Franca diminuiu sobremaneira. Contudo, não diminuiu sua importância.


Para Vânia Mirele Ferreira Carrijo, Médica Veterinária, com Mestrado em Produção Animal Sustentável pelo Instituto de Zootecnia, Jurado Efetivo de Raças Zebuínas e Docente do Centro Paula Souza Prof. “Carmelino Corrêa Jr”, em Franca (SP), e uma das organizadoras das raças leiteiras na EXPOAGRO há vários anos, a exposição de Franca (SP) tem uma importância enorme dentro da cadeia produtiva do leite.


“Eu tenho observado que os bons resultados obtidos durante as últimas edições da EXPOAGRO em Franca (SP) vêm estimulando a pecuária leiteira na região. A exposição está incentivando os criadores a começarem ou a retomarem a atividade leiteira. Hoje nós vemos criadores que participam efetivamente da EXPOAGRO e que, anos atrás, tinha acabado com a atividade leiteira”, explicou Vânia.


A médica veterinária explica, ainda, que as exposições agropecuárias estimulam os criadores a investirem continuamente em melhoramento genético nas propriedades, além de estimular a indústria no desenvolvimento de novas tecnologias em rações, medicamentos, máquinas e implementos. “O estímulo à produção leiteira tem nas exposições agropecuárias um ponto extremamente importante”, disse.


A partir da introdução de outras atividades agropecuárias na programação oficial da EXPOAGRO, como palestras, workshops e leilões, Vânia garante que agrega ainda mais e que, com certeza, atrairá ainda mais a participação dos produtores rurais da região. “No meu caso, em particular, além de todo o trabalho que desenvolvo como profissional na cadeia produtiva do leite e em exposições agropecuárias, eu utilizo o palco da EXPOAGRO como aula-prática para os alunos de instituições ligados ao agronegócio, como meus alunos da Escola Técnica Agrícola “Prof. Carmelino Corrêa Jr.”, disse.


O TRABALHO COMEÇA BEM ANTES – A participação de um criatório em uma exposição agropecuária, seja apenas para os julgamentos oficiais em pista ou também nos concursos leiteiros, faz com que os expositores e tratadores trabalhem incessantemente durante praticamente todo o ano. A busca pelas melhores pontuações em julgamentos oficiais e as vitórias em torneios leiteiros faz com que haja um trabalho e um investimento que muitas pessoas não sabem.


Para o Zootecnista Glayk Humberto Vilela Rosa, Mestre em Produção Animal Sustentável pelo Instituto de Zootecnia, Jurado Efetivo de Raças Zebuínas e Assessor e Consultor Pecuário pela GH Assessoria, o investimento financeiro do criador em animais que participam de exposições é bem alto. Porém, com planejamento e boa assessoria, a possibilidade de êxito é grande. “Considero que as Exposições Agropecuárias têm uma importância enorme para o fomento da pecuária local, estadual e Nacional. Mesmo tendo que assumir um custo considerável na preparação de seus animais, o criador-expositor não participa de exposições em busca de premiações. Ele busca, através da melhoria genética de seus rebanhos, o reconhecimento oficial de que seus animais são bons reprodutores e bons produtores de leite. Estas características sim, farão com que o investimento inicial seja revertido em menor ou maior prazo. Que a genética do seu gado seja comercializada com maior reconhecimento”, explicou Glayk.


Segundo Glayk, nas raças Girolando ou Gir Leiteiro, para a participação em torneios leiteiros, são necessários, no mínimo, de 70 a 90 dias. “Eu calculo um investimento em torno de R$ 18 mil por animal. Pois você começa a preparar um animal no pré-parto. São necessários cuidados especiais, com acompanhamento diário de uma equipe de profissionais especializados, além de dietas específicas”, disse.


Como forma de mostrar a importância de uma exposição agropecuária e o envolvimento de todo o setor, o zootecnista explica que, “em uma exposição agropecuária ou em um Concurso Leiteiro, os animais que participarão deverão estar devidamente registrados em suas respectivas associações. Além disto, o próprio Concurso Leiteiro precisar estar credenciado pelo MAPA, via Associações, para homologar recordes e resultados oficiais de campeonatos e grandes campeonatos”, afirmou.


IMPORTÂNCIA MUNDIAL – Quem trabalha na cadeia produtiva do leite sabe. Mas, infelizmente, a população em geral não compreende a importância da EXPOAGRO e dos resultados obtidos em uma exposição agropecuária. “No ano passado, tivemos um animal da raça Gir Leiteiro, de um condomínio de criadores, com genética proveniente da Venezuela. Além disto, um dos auxiliares do jurado da raça Gir Leiteiro era um profissional colombiano”, afirmou Glayk Humberto.


Além disto, na pista de julgamento do Parque de Exposições “Fernando Costa”, desfilam animais do maior valor genético do Brasil e da América do Sul. São animais premiados nas principais exposições e campeonatos leiteiros do País.


Prova da sua importância no cenário agropecuário nacional é a sua coleção de recordes nacionais e mundiais na pecuária leiteira.


ð  ANO 2012 = Raça Gir Leiteiro – Recorde Mundial na Produção de Leite

- Categoria = Vaca Jovem

- Animal = “Iname FIV F. Mutum”

- Produção Média = 44,340 kg de leite

- Criador = Leo Ferreira Machado

- Fazenda = Mutum (Alexânia – GO)

 

ð  ANO 2013 = Raça Girolando – Recorde Mundial na Produção de Leite

- Categoria = Vaca Adulta 1/4

- Animal = “Jacutinga F.R. Recreio”

- Produção Média = 64,173 kg de leite

- Criador = José Orlando Bordin

- Fazenda = Araquá (Charqueada – SP)

 

ð  ANO 2014 = Raça Girolando – Recorde Mundial na Produção de Leite

- Categoria = Novilha 1/2

- Animal = “Candeia Wildman F. Congonhas”

- Produção Média = 81,210 kg de leite

- Criador = Paulo Ricardo Maximiano

- Fazenda = Córrego Branco (Capetinga – MG)

 

ð  ANO 2015 = (Recorde 1) Raça Girolando – Recorde Mundial na Produção de Leite

- Categoria = Novilha 5/8

- Animal = “Afrodite FIV da Dubai”

- Produção Média = 77,003 kg de leite

- Criador = Humberto Renato Ferreira

- Fazenda = Dubai (Santa Juliana – MG)

 

ð  ANO 2015 = (Recorde 2) Raça Girolando – Recorde Mundial na Produção de Leite

- Categoria = Novilha Geral

- Animal = “Estrela FIV da Dubai”

- Produção Média = 81,230 kg de leite

- Criador = Humberto Renato Ferreira

- Fazenda = Dubai (Santa Juliana – MG)

 

ð  ANO 2015 = Raça Gir Leiteiro – Recorde Mundial na Produção de Leite

- Categoria = Vaca Adulta

- Animal = “Bandeira”

- Produção Média = 77,556 kg de leite

- Criador = Condomínio Bandeira (Maria Tereza Lemos Costa Calil)

- Fazenda = Fazenda Paraíso (Franca – SP)

 

(FOTO LEGENDA: Vânia Mirele Ferreira Carrijo e Glayk Humberto Vilela Rosa - CRÉDITOS: Carlos Arantes Corrêa)

 

INFORMAÇÕES:

Telefone (16) 3724-7080

Site: www.expoagrodefranca.com.br

Facebook: www.facebook.com/expoagrodefranca

Instagram: www.instagram.com/expoagrodefranca

Flickr: www.flickr.com/photos/149069454@N05/



Voltar